500_9789722036603_no_silencio_de_deus
FacebookTwitterGoogle+

No Silêncio de Deus

Um escritor descobre que está a morrer. Uma jornalista tenta desvendá-lo. Ambos procuram a redenção. Encenam uma fuga à realidade. Três cidades: Lisboa, Jerusalém, Amesterdão. E ainda uma prostituta, um barman, um médico homeopata. A possibilidade da salvação e a procura da humanidade. As falhas de cada um.

O passado como identidade. Um fado. Vários livros. Dor e consternação. No fim, sem medo, uma ideia melhor.

«O que é um bom romance? É um texto imaginário que abala a nossa realidade mais íntima. [...] O livro da Patrícia faz isso. [...] Um Atravessando os desertos da mágoa é possível chegar a esse lugar onde o silêncio de Deus se fende e as palavras que nos faltaram ou feriram de súbito refulgem, com uma transparência que faz as vezes da felicidade. Escreve-se para isso, mas raras vezes se consegue, como agora conseguiu a Patrícia Reis, escrever exactamente isso.» | Inês Pedrosa, LER.

«O envelhecimento, a doença, a solidão, o sucesso (que não constitui auxílio) são alguns dos temas que ocupam estas páginas, tratados sempre com elegância, precisão e maturidade.» | José Eduardo Agualusa, Público.

«O regresso de uma das escritoras portuguesas mais celebradas da nova geração de autores.» | Os Meus Livros.

«[...] o que surpreende é a clareza da escrita de Patrícia Reis em tornar o óbvio sedutor.» | Vítor Pinto Basto, Jornal de Notícias.

«[...] que se prolonga na continuidade das páginas é a adesão a um pacto irrevogável de leitura que se pressente no silêncio que dá título ao livro. Um silêncio que a autora nos convoca nos limites do absoluto, equidistante ao deus dos católicos, dos protestantes, dos árabes e dos judeus.» | Luísa Mellid-Franco, Expresso.

«[...] Cruz da Almas era um livro seguro, bem escrito [...], maduro e “sem desculpas de mau prosador”. Tais qualidades mantêm-se no presente livro.» | Mário Santos, Público.

«No Silêncio de Deus é um excelente livro sobre a procura, sobre o passado e como este  determina o presente.» | Tito Couto, Fórum Vale do Sousa.

Editora: Publicações Dom Quixote (2008)
Comprar: Wook