Layout 1
FacebookTwitterGoogle+

A Contradição Humana

Obra distinguida com os seguintes prémios: LER/Booktailors na categoria de Melhor Ilustração Original, 2012; Autores SPA/RTP, 2011; seleção White Ravens, 2011; Menção Especial do Prémio Nacional de Ilustração, 2011; Lista de Honra do IBBY (International Board on Books for Young People).

Direitos vendidos para: Brasil e Colômbia.

Depois de ter recebido o prémio Maria Rosa Colaço 2009 para Literatura Juvenil com Os Livros Que Devoraram o Meu Pai, também publicado pela Caminho, Afonso Cruz traz-nos as observações de uma criança atenta ao mundo, às suas contradições e opostos, combinando ironia e argúcia com um talento narrativo que passa igualmente pela sua ilustração.

«[...] é um livro muitíssimo bonito, em que texto e imagem entram em perfeita sintonia e diálogo e que nos relembra, a cada momento, que uma das riquezas do mundo e da língua se situa no horizonte da ambiguidade.» | Rita Taborda Duarte, Leitura Gulbenkian.

«A boy’s reflections on the people in his environment are only seemingly naive. Why does his aunt shut birds in cages, though she claims to love them? Why does Mr. Oliveira ignore a poor person on the street, while paying such close attention to the traffic? Why is the neighbour happy, when he hears sad melodies on the piano? Such mundane observations guide readers’ attention to the contradictions and gaps in human nature. This picture book is a feast for the eyes. Using three colours – white, a lot of black, and a bright popping red –, raw shapes, “false” perspectives, and a text hand-written using the most diverse scripts, Afonso Cruz visually captures the clever-subversive character of children’s thoughts.» | Texto da escolha/exposição White Ravens 2011.

«A originalidade do autor fica mais uma vez patente neste livro difícil de catalogar, uma espécie de viagem ao mundo dos adultos pelo olhar questionador, inocente e perspicaz de uma criança decidida a pôr a nu as contradições e os paradoxos da existência. A presença do humor não inibe, contudo, uma leitura questionadora da realidade. O livro marca ainda pelas opções cromáticas e pelo design gráfico, combinando texto e imagem e criando páginas surpreendentes.» | Ana Margarida Ramos, Casa da Leitura.

«Não são opostos e sim relações de desconstrução silogística. Parece complexo mas não é: silêncio e som, liberdade e prisão, alegria na tristeza… Situações e comportamentos que produzem efeitos contrários ao que seria de esperar, se o ser humano não fosse mais complexo do que um simples exercício lógico. Tricolor, o álbum destaca o grafismo no espaço da página, evidenciando a importância da palavra.» | Andreia Brites, O Bicho dos Livros.

Editora: Editorial Caminho (2010)
Comprar: Wook