ursamaior
FacebookTwitterGoogle+

Ursamaior

Traduções da obra e edições estrangeiras:

La grande ourse, 2006, Métailié (França).

É uma volta de 180º na escrita de Mário Cláudio. O autor de Quinta das Virtudes tinha-nos habituado a escrever, sobre o Porto finessecular, frescos retratos de famílias e épocas.

Depois do anónimo marinheiro Barnabé que no romance anterior viajava com Gama para a Índia, e dessa viagem nos dava conta, Ursamaior conta a história de um homicídio que teve lugar na cidade do Porto em 1994.

Uma estudante de Medicina foi assassinada pelo antigo namorado em pleno Instituto de Biomédicas. O caso foi amplamente noticiado e Mário Cláudio interessou-se por ele. Após várias visitas ao homicida na prisão, onde contactaria também com outros presos, escreve este romance, a que o próprio chama «psico-reportagem», sobre o mundo que os muros da prisão encerram.

«Assim, sem se desligar de estratégias e processos que construíram trinta anos de produção literária, Ursamaior marca uma ruptura no percurso narrativo do autor. Mário Cláudio atinge aqui uma superlativa mestria de linguagem, com uma elegância sábia aborda um tema cruel e actual, corre muitos riscos com uma segurança calma. O resultado é feliz, inaugura uma nova fase na sua escrita, mas também lhe cria responsabilidades acrescidas para o futuro». | Helena Barbas, Expresso.

Editora: Publicações Dom Quixote (2000)
Comprar: Wook