Too Much
FacebookTwitterGoogle+

Too Much

«O que, em O Cão das Ilhas, era uma pungente identificação entre a narradora e os maus tratos infligidos a um cão [...] torna-se, em Too Much, uma apropriação fantasmagórica do destino fatal de uma amiga [...]» | Hugo Pinto Santos, Público

Editora: Alambique (2014)