Dai-lhes, Senhor, o Eterno Repouso (2010)
FacebookTwitterGoogle+

Dai-lhes, Senhor, o Eterno Repouso

Traduções da obra e edições estrangeiras:

Donnez-leur, Seigneur, le repos éternel, 2013, Les Éditions de l’Aube (França).

A ameaça de um grande atentado contra o papa desencadeia uma intrincada investigação. Mas as mortes não explicadas sucedem-se no meio eclesiástico, adensando um clima de suspeita e medo. Entretanto, o porta-aviões Varyag, transformado em casino flutuante, é palco para o assassínio de Lady Godiva, uma bela e afamada cantora.

Muitos anos antes, no fim da Segunda Guerra Mundial, o submarino U-1277 foi afundado junto ao Porto pelo seu comandante; a tripulação desembarcou em botes na praia de Angeiras e desapareceu. Ninguém sabe o que aconteceu a Helmuth Draier, nem qual a secreta missão de que vinha incumbido.

Através do detetive Mário França, em Dai-lhes, Senhor, o Eterno Repouso a narrativa move-se agilmente entre o passado e o presente, e, pelo caminho, o leitor encontra uma abordagem a grandes temas da atualidade, desde a pedofilia e a Igreja Católica, à volatilidade e desigualdade do mundo, onde grassa a miséria e habita a riqueza mais obscena.

«Miguel Miranda oferece-nos um texto extraordinariamente hilariante, pleno de ironia e humor num acerto de mestre. Nada está a mais ou a menos na evocação dos lugares do Porto, na construção dos personagens, beliscando-lhes a alma, o carácter, o aspeto físico.» | Revista LER.

«Pela escrita de Miguel Miranda se revela que o escritor está apaixonado pelas pessoas.» | José Manuel Mendes, escritor.

 

Editora: Porto Editora (2010)
Comprar: Wook